quinta-feira, 23 de março de 2017

Curiosidades – Turquia 3


Mesmo no centro de Istambul, a Cisterna da Basílica, um conjunto de galerias e túneis construídos para armazenar água no período Bizantino, revelou-nos um labirinto de colunas que emergem da escura água acumulada, salpicada somente pelo reflexo luminoso de pequenas luzes que realçavam as colunas. Podíamo-nos deslocar por entre elas através de passadeiras, num ambiente húmido e sombrio, ouvindo sempre o gotejar de água, algures, que a música ambiente, muito bem seleccionada, não abafava e ajudava, até, a criar em certo ambiente misterioso. Apreciando esta surpreendente construção de colunas desiguais,   trazidas dos templos do império para ali sustentarem abóbodas de tijolo ao estilo romano, eis que nos deparámos com duas que sobressaíam entre as demais. Na sua base estavam esculpidas as cabeças da pérfida górgona Medusa com sua cabeleira de serpentes, mas esculpidas de cabeça para baixo, vá-se lá saber porquê. Com todo este ambiente subterrâneo, poderíamos acreditar estar no verdadeiro antro do terrível monstro. Teria havido uma intenção simbólica ao serem colocadas ali estas duas cabeças? 

Na Turquia somos surpreendidos por tudo e por nada...


Sem comentários:

Enviar um comentário